Profissional de marketing: o cara que pode fazer a diferença para sua empresa

Hoje é o Dia do Profissional de Marketing. Para quem atua nessa área, como é o meu caso, é uma data especial. Por conta disso, não poderia deixar esse dia passar em branco e resolvi publicar esse texto aqui no blog para celebrar a data. Você é profissional de marketing? Parabéns pelo seu dia e tenha orgulho do seu trabalho! Você nunca foi tão importante para o mercado como no atual momento em que vivemos.

Mesmo que infelizmente ainda existam empresas – e profissionais – que, em pleno ano de 2017, cultivem uma visão bastante limitada de que o profissional de marketing é apenas “aquele sujeito que dá suporte à área de vendas com umas peças de divulgação legais”, definição que já ouvi por aí, somos muito mais do que isso. Tenha consciência de que, na era da hiperconexão e da transparência total criada a partir do surgimento da internet e das redes sociais, você é uma peça extremamente importante, eu diria cada vez mais relevante, para a engrenagem de qualquer tipo de negócio, de qualquer segmento de mercado. Eu já explico o porquê.

O profissional de marketing é o cara. Sim, é o cara que pode fazer a diferença para o sucesso ou o fracasso do seu negócio. É aquele cara que faz o cliente enxergar o valor das coisas, e isso não é pouca coisa. Valor é a palavra-chave para o êxito de qualquer empresa, de qualquer marca. Se o consumidor não enxergar valor, pouco importa se você acredita que a sua marca tem o melhor produto ou serviço. Se o cliente não enxergar valor no seu produto, não vai comprar. É simples assim. Aí é que entra o marketing e o profissional que vai fazer esse trabalho fundamental.

Marketing é o processo de criar, comunicar e entregar valor. O valor, por sua vez, é a relação entre os benefícios percebidos pelo cliente e o custo total da transação. O profissional de marketing é o responsável por desenvolver as estratégias e as táticas para fazer com que o cliente perceba o valor do produto/serviço produzido por uma marca. É esse valor que terá papel decisivo na construção da reputação, o principal ativo de qualquer marca/empresa hoje. Como já mencionei em outro artigo aqui no blog, a reputação é o principal critério de escolha de uma marca para 83% das pessoas atualmente. Portanto, na era da internet e das redes sociais, a principal moeda é a reputação.

Reputação se constrói com gestão de marca, com branding, que é a essência do marketing. Marketing também é o processo de construir, fortalecer e gerenciar uma marca até o ponto em que ela se venda de forma natural, de tal maneira que o marketing nem pareça marketing. Nos dias de hoje, o principal desafio das empresas é exatamente despertar a atenção e o interesse do consumidor em meio ao oceano de estímulos e de informação disponíveis na internet e nas redes sociais. Nesse contexto, o trabalho do profissional de marketing se tornou ainda mais relevante na medida em que, para construir a reputação de uma marca, ele primeiro precisa fazer com que o cliente preste atenção no que essa marca tem a dizer. Uma missão difícil, não?

É claro que hoje há muitos métodos e ferramentas para atrair a atenção e o interesse do consumidor mesmo no meio de todo esse barulho. Marketing digital, marketing de conteúdo, redes sociais, e-mail marketing, e-book, vídeos, lives, eventos…eu poderia ficar aqui o dia inteiro mencionando formas de atrair e reter clientes proporcionadas pelas novas tecnologias. Contudo, há dois fatores que são e sempre foram fundamentais no marketing muito antes do termo “inbound marketing” virar palavra da moda: posicionamento e experiência. São esses dois elementos que aproximam o marketing da ciência e sintetizam a importância do profissional que trabalha nesse segmento. A marca que consegue posicionar seu valor na mente do consumidor e entregar uma experiência que corresponda ao posicionamento prometido alcança um nível de reputação na qual estão poucas empresas – o nível no qual estão marcas como Apple, Coca-Cola e Starbucks, marcas que se vendem naturalmente, em que o marketing não parece marketing. O trabalho diário para tentar alcançar esse nível de reputação de marca é muito mais amplo do que a visão estreita que algumas empresas e profissionais têm a respeito do profissional de marketing. É um trabalho que vai muito além de “pensar em um card bacana para ser publicado na página oficial do Facebook” ou “planejar um estande legal para a próxima feira”.

Portanto, se você é empresário e costuma ceifar ou reduzir a área de marketing da sua organização diante da primeira dificuldade financeira que surge em meio a uma crise econômica como a que estamos vivendo hoje, da próxima vez pense duas vezes: você pode estar demitindo o profissional que poderá fazer a diferença para o sucesso do seu negócio.

Feliz Dia do Profissional de Marketing para você também!