O que a Black Friday ensina aos profissionais de marketing e vendas

Foi impossível passar incólume à Black Friday, mega promoção de vendas que nas últimas semanas só não chamou a atenção de quem estava em outro planeta. Se você acessou algum tipo de dispositivo eletrônico (smartphone, tablet, computador, TV, etc) ou botou a cabeça para fora de casa nesse período, certamente foi impactado de alguma maneira por alguma oferta – ainda que não tenha comprado absolutamente nada.

Mas o que essa superpromoção que surgiu nos Estados Unidos e já se tornou uma tradição também no Brasil tem a ensinar aos profissionais de marketing e vendas? Eu posso citar alguns ensinamentos que absorvi a partir de observações que fiz nos últimos dias:

Todo mundo adora uma promoção – sim, isso é meio óbvio de se dizer, mas muitas vezes até o óbvio precisa ser dito, até porque ainda há marcas que, acredite, raramente dão descontos ou fazem promoções. De acordo com a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), a Black Friday de 2016 deve movimentar cerca de R$ 2 bilhões, um aumento de 18% em relação ao ano passado. 18%! Esse número comprova que o consumidor adora uma promoção. Mesmo em meio a uma grande crise econômica como a que vivemos hoje no Brasil, a promoção sempre tem o seu apelo. Não importa em qual segmento de mercado sua empresa atue, não importa que tipo de consumidor é o seu, vale a pena ser flexível, dar descontos, fazer promoções de vez em quando, para vender mais. O cliente é um ser humano, lembre-se disso, e todo ser humano gosta de ter alguma facilidade, de perceber alguma vantagem. Na hora da compra, ele quer sentir que está tendo algum ganho, e a promoção preenche essa “lacuna”;

Preste atenção nos hábitos do consumidor – a proximidade da Black Friday com o mês de dezembro está fazendo com que muitos consumidores – já há alguns anos – antecipem as compras de Natal. Isso é mudança de comportamento do consumidor. Sabe aquela história de que “o cliente tem sempre os mesmos hábitos”? Pois é, isso é verdade até certo ponto, e a Black Friday está aí para provar que, com um bom esforço de marketing e promoção de venda, você muda hábitos já “consagrados” do consumidor;

O poder do e-mail marketing… – já ouvi algumas vezes, inclusive de profissionais de marketing e comunicação, que o “e-mail marketing morreu”. Essa “tese” ganhou força nos últimos anos com a popularização das redes sociais. No entanto, há variadas estatísticas indicando que, em média, 60% dos consumidores que realizam compras online o fazem após receber um e-mail marketing. Em promoções como a Black Friday, em que boa parte das compras é feito por e-commerce, fica evidente a força que o e-mail marketing ainda tem para estimular o consumidor;

…e da criatividade – por falar em e-mail marketing, não basta apenas usar a ferramenta. É preciso chamar a atenção com algum diferencial. Com a avalanche de e-mails que você recebe antes, durante e após uma Black Friday (eu recebi pelo menos 300 mensagens nos últimos 15 dias, em duas contas de e-mail), é fundamental ser criativo para se diferenciar da concorrência. A começar por uma chamada divertida no “assunto”, como as que recebi do Mercado Livre (“Comprar barateeenho na BLACK FRIDAY”) e da Lojas Renner (“Sem assunto. Só Black Friday”). Mas a que realmente me chamou a atenção pela originalidade foi um e-mail marketing da Dolce Gusto (Nestlé), cujo assunto era “Não quer perder a Black Friday? Temos a solução”, seguido da imagem abaixo. Muito bom, não?

 

dolcegusto

 

“Black Fraude” perde força em 2016 – um balanço parcial do Reclame Aqui aponta que as queixas contra empresas chegaram a quase de 3 mil, cerca de 33% menos do que em 2015. O principal motivo de reclamações foi a propaganda enganosa (22%) e o famoso “metade do dobro” apareceu apenas como sexto motivo de queixas (5,4%) – leia mais aqui. As pesquisas de consulta de reputação das empresas aumentaram 26% em relação a 2015. Ou seja, o consumidor está mais consciente, informado e empoderado. Nesse cenário, ganham vantagem as marcas que têm boa reputação e as que trabalham para melhorá-la cada vez mais. Nos dias de hoje, reputação é um poderoso fator de competitividade. De acordo com os números, aparentemente as empresas estão mais atentas ao fator reputação e isso colaborou para a “Black Fraude” perder força neste ano.

O que te chamou a atenção na Black Friday? Compartilhe aí nos comentários!

Até o próximo post, estrategistas de marketing!